O controle fiscal e financeiro de uma instituição é peça-chave para sua sustentabilidade, crescimento e melhoria de desempenho. É com base nos indicadores de finanças e nos documentos fiscais que gestores conseguem tomar as melhores decisões para uma instituição.

E quando há algo de errado nas informações financeiras, é necessário agir com celeridade para sanar o problema, identificar as razões e criar os direcionamentos ideais para a empresa superar este obstáculo. Geralmente, a instituição executa uma auditoria em suas contas, sendo este o procedimento mais recomendado para averiguar possíveis equívocos.

A auditoria é um procedimento complexo e com diversas etapas, e quando há a necessidade de esmiuçar ainda mais alguma informação ou documento fiscal, entra em jogo a revisão contábil.

Aproveite o post de hoje para descobrir mais sobre a revisão contábil e como ela complementa a atuação de uma auditoria financeira. 

O que é revisão contábil?

A revisão contábil é um procedimento que pode ser adotado durante uma auditoria financeira com a finalidade de aprofundar a análise sobre algumas das informações levantadas durante a auditação.

Sua atuação é bem menos ampla do que a auditoria, contudo, a matéria que é analisada no processo de revisão será objeto de um estudo bem rigoroso, com foco mais técnico, tudo com a finalidade de verificar a fundo os processos financeiros e contábeis.

A revisão geral da auditoria, devido aos critérios, só é feita em empresas pequenas, aquelas nas quais os demonstrativos financeiros e documentos fiscais não somam um grande volume.

O objeto de análise da revisão fiscal é amplo, porém, é costumeiro que as revisões sejam feitas em:

  1. escriturações fiscais;
  2. cálculos tributários;
  3. registros de pagamentos de impostos;
  4. notas fiscais emitidas;
  5. obrigações acessórias.

Na maioria dos casos, quando a revisão é feita, são analisadas informações dos últimos cinco anos de atividade, a fim de atestar a coerência das informações que foram enviadas pela empresa ao fisco. 

Outro ponto sensível das revisões contábeis é referente aos créditos fiscais. Uma boa revisão aponta os erros, mas também pode servir como uma oportunidade para detectar créditos fiscais que não foram aproveitados pela instituição. 

O revisor vai executar uma análise profunda sobre a empresa e também sobre a legislação, a fim de analisar todas as mudanças que ocorreram ao longo dos anos e, por consequência, explorar essas mudanças para verificar a existência de créditos fiscais. 

Então, a revisão é um complemento da auditoria?

De certa forma, sim. O processo de revisão tem como base o que a auditoria já levantou em cada uma das suas etapas. 

E como a auditoria trabalha por amostragem, a revisão pode ser requisitada pela equipe de auditação para analisar com profundidade alguma informação, que irá fazer com que toda a análise se torne mais concreta, fiel à realidade e capaz de identificar os principais erros na contabilidade

A auditoria foca no apontamento dos erros, na identificação da origem das incongruências, já a revisão se aprofunda em um determinado aspecto que gera, digamos, uma espécie de dúvida no auditor.

Ao se deparar com algo que, de acordo com seu trabalho feito com base em amostragem, parece estar errado, o auditor tem a opção de requerer a revisão para dar segurança ao seu veredicto.

O revisor

O papel de revisor deve ser assumido por um agente externo à organização que está sendo avaliada, a fim de garantir a transparência e imparcialidade de seu trabalho. Nada impede que o próprio contador da empresa participe da revisão, contudo, o mais comum é acionar um profissional que não faz parte da equipe interna. 

O que a empresa ganha com uma revisão contábil?

O primeiro ponto é referente à conduta empresarial. Uma instituição séria e que pretende se posicionar com qualidade no mercado deve estar em conformidade com as obrigações fiscais. 

A revisão tem como primeiro benefício assegurar à empresa contratante que suas incongruências e problemas com o fisco serão sanadas ou, pelo menos, será traçado um plano de ação para determinar as melhores formas de corrigir os erros.

A irregularidade pode gerar grandes multas e até sanções para as empresas, por isso, é essencial estar em conformidade com a Receita.

Outro benefício é ligado aos créditos fiscais. A revisão pode apresentar aos gestores da empresa créditos fiscais que ainda não foram utilizados e que podem servir para fazer um abatimento das obrigações fiscais que a empresa ainda vai pagar. 

Os créditos reduzem a carga tributária, o que garante um pequeno fôlego financeiro, e esse dinheiro economizado pode ser aplicado para otimizar as operações ou a estrutura da empresa. 

Por fim, a revisão concede aos gestores inteligência sobre as movimentações fiscais que foram feitas nos últimos anos. Esse processo ajuda a criar um panorama sobre as obrigações da empresa e como elas foram cumpridas durante todo esse tempo. 

Conclusão

Essas são as informações mais importantes para entender como funciona uma revisão fiscal, qual seu objeto de análise e como ela contribui para a transparência da gestão e para melhorar os processos contábeis.

Assim como a auditoria, a revisão é um processo que tem seu custo, mas que garante à instituição a oportunidade de passar um “pente-fino” nas suas atividades contábeis e, a partir das informações levantadas, determinar as melhores diretrizes para as operações. 

Conte suas experiências com auditorias e revisões contábeis, compartilhe um comentário e enriqueça ainda mais nossa discussão sobre o tema!

Comentários