Você está cansado da burocracia dos grandes bancos tradicionais?

Em pleno ano de 2020, com a digitalização tomando conta dos processos operacionais em praticamente todos os setores do mercado, é no mínimo ultrapassado e absurdo ficar pagando taxas abusivas por serviços antiquados e burocráticos.

E como era de se esperar, várias soluções digitais estão surgindo no ramo financeiro e bancário, em resposta aos modelos tradicionais. Empresas como Nubank, Banco Inter, Banco Neon e outras estão fazendo uma verdadeira revolução financeira através de serviços eficientes baseados na tecnologia.

Nesse artigo lhe mostraremos uma alternativa digital para a gestão financeira do seu negócio em 2020!

Os bancos digitais estão ganhando força e crescendo muito aqui no Brasil. Com mais adeptos a cada dia, vieram para suprir com tecnologia e eficiência um mercado que sofria com a burocracia dos grandes bancos tradicionais. Vêm conquistando boa fatia desse mercado de contas correntes de pessoas físicas no país.

Depois das pessoas físicas, as empresas agora também estão começando a entrar na mira desse novo modelo de bancos, viabilizados pelas fintechs (start-ups que trabalham para inovar e otimizar os serviços do sistema financeiro). Alguns bancos digitais criaram até estruturas próprias voltadas ao atendimento de pessoas jurídicas.

O foco inicial dessas instituições é voltado às necessidades de microempreendedores e pequenas e médias empresas. Mas parte dos bancos diz atender até mesmo grandes corporações.

O que são bancos digitais?

Bancos digitais, também chamados de bancos virtuais ou fintechs, são instituições que oferecem uma alternativa de serviços financeiros totalmente digital.

Da abertura da conta bancária ao esclarecimento de dúvidas, todas as necessidades dos clientes podem ser resolvidas pela internet. Sem fila, sem burocracia e sem precisar sair de casa.

São novas propostas – algumas em consolidação – que estão em busca de resolver problemas como tarifas elevadas, falta de transparência, conflito de interesses, entre outros.

O objetivo ter mais agilidade no atendimento e, assim, conquistar um número maior de consumidores. Os principais serviços que eles oferecem são:

  • Conta-corrente digital sem tarifa;
  • Cartão de crédito (em muitos casos sem anuidade);
  • Investimentos;
  • Seguros;
  • Consórcios;
  • Empréstimos.

Contas digitais para PJ

Os bancos digitais têm como foco de clientela, não só empresários autônomos como também microempresários. Quem possui uma microempresa, com número limitado de funcionários, certamente sabe como é difícil ir ao banco.

As contas digitais tem o intuito de extinguir essa tarefa, bem como outras atividades desgastantes relativas às finanças da empresa.

A conta bancária sempre foi um problema para profissionais PJ. É natural que qualquer banco seja mais criterioso e burocrático ao abrir contas de pessoa jurídica, ainda mais em época de lava-jato.

Além disso, se existem pessoas que pagam mais de R$ 100 só de mensalidade apenas para manter a conta aberta, imagine o que os bancos não cobram das empresas…

Até pouco tempo atrás, alguns bancos ofereciam contas digitais apenas para MEIs, devido a um entrave regulatório.

Felizmente, o Banco Central através da RESOLUÇÃO Nº 4.697, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2018 resolveu em novembro de 2018 liberar a abertura de contas totalmente online também para pessoas jurídicas de qualquer porte, consolidando a tendência.

Quem pode ter uma conta PJ?

O requisito imprescindível para abrir uma conta para pessoa jurídica em qualquer banco digital, em suma, é ter um CNPJ. Então o cadastro em si já será o suficiente, já que o fato de possuir instalações físicas é desnecessário.

Veja agora os 5 melhores bancos digitais para pessoas jurídicas em 2020:

5 – Original

Banco Original está a mais de seis anos prestando serviços de banco digital, tanto para pessoas físicas como para pessoas jurídicas. Como condição para habilitar-se a usar a conta jurídica, batizada de Original Empresas, o empresário deverá também manter uma conta pessoa física na mesma instituição.

A conta Original Empresas, no momento, só oferece como opção de crédito para pessoas jurídicas o Cheque Empresarial. Linhas como capital de giro e cartão de crédito devem ser acrescentadas ao portfólio da conta PJ do Banco Original somente nos próximos meses. Outros serviços, como o de cobrança, também são promessas futuras para empresas com conta corrente no Banco Original.

Os principais serviços bancários voltados para as necessidades das empresas no Original estão inclusos em um pacote de R$ 39,90 por mês, o Original Empresas, que dá direito a seis TEDs, quatro saques e 20 transferências, mensalmente. Esse pacote garante ainda a isenção total de tarifas na conta pessoa física do empresário. Por enquanto, o banco digital ainda não tem serviço de emissão de boletos.

O Banco Original promete, em breve, um novo pacote mais completo de serviços, com custo mensal de R$ 79,90. Com esse valor mensal, o cliente pessoa jurídica passará a fazer saques e transferências ilimitadas. Esse pacote ainda incluiria uma máquina de cartões, segundo o banco, totalmente gratuita.

– Mensalidade

  • Pacote básico (Original Empresas): R$ 39,90
  • Pacote mais completo (em breve): R$ 79,90

– Benefícios exclusivos

  • Saques ilimitados apenas nos caixas eletrônicos do Banco Original;
  • TED ilimitado entre contas do Banco Original;
  • Consulta de extrato e saldo gratuita;
  • Pagamento de faturas ou boletos sem taxas;
  • Isenção de taxas com mais de R$ 100.000 investidos, as taxas ficam até 50% mais baratas.

– Taxas

  • As taxas observadas foram todas referentes a cartões de crédito. O banco divulga que todos os outros serviços são completamente gratuitos.

– Aplicativo

  • Com o aplicativo é possível o pagamento de contas e até acompanhar os pontos acumulados nos programas de fidelidade.

– Investimentos

  • Oferece produtos de renda fixa, com isenção de IR.

Site: https://www.original.com.br/

4 – Neon

Na conta Neon Pejota, lançada pela Neon Pagamentos em novembro de 2018, é possível fazer todas as operações bancárias via internet banking, com tudo totalmente isento de tarifas. Antes do lançamento da conta jurídica, a Neon já atendia cerca de mil empresas e pequenos empreendedores que participavam da fase de testes dessa nova modalidade de atendimento.

O público-alvo da Neon Pejota são profissionais liberais, microempreendedores individuais e pequenas e médias empresas. O empresário não precisa manter sua conta de pessoa física na instituição, mas há muitos casos em que o empresário possui as duas modalidades de conta no banco.

A conta jurídica da Neon Pejota não tem anuidade. Mas as tarifas são cobradas pelos usos dos serviços. No caso de emissão de boletos, por exemplo, o empresário paga R$ 2,90 por transação. O saque no caixa eletrônico da rede 24 Horas tem custo de R$ 6,90. Para fazer transferências via TED para outros bancos o empresário precisa desembolsar R$ 3,50.

Por enquanto, o Neon não oferece linhas de crédito para pessoa jurídica. Mas promete em breve liberar o investimento em CDB direto na conta Neon Pejota. Sem adiantar os detalhes, o banco digital diz que tem planos ainda de implantar a função que permite realizar pagamento dos funcionários de empresas de “forma mais prática”.

– Mensalidade

  • Gratuita.

– Benefícios exclusivos

  • Cartão virtual grátis para compras online;
  • Atendimento 24 horas;
  • Anuidade zero de cartões de crédito.

– Taxas

  • Transferência interbancária: R$ 3,50;
  • Emissão de boleto: R$ 2,90;
  • Saques na rede 24h: R$ 6,90;
  • Compras internacionais: 4% + IOF

– Aplicativo

  • O aplicativo disponível para IOS e Android, é também o meio de finalização de abertura da conta, sendo que o início é feito através da página do Banco Neon na internet.

– Investimentos

  • Ainda há muitos trabalhos em andamento na plataforma. Então não foi encontrada nenhuma possibilidade de investimento.

Site: https://neon.com.br/

3 – BS2

O BS2 adentrou silenciosamente ao universo das pessoas jurídicas. O antigo Bonsucesso começou a testar sua Conta Jurídica, solução que reúne conta-corrente em uma plataforma completa de pagamentos para empresas, com direito até a boletos para cobranças e terceiros.

A conta já oferece solução de cobrança, possibilidade de adquirir maquininha e integração com APIs. Em breve a instituição oferecerá para PJ serviços de crédito, câmbio e investimentos.

O BS2 Empresas é um hub completo de produtos e serviços para quem possui CNPJ. A conta é isenta de tarifa de manutenção; o cliente PJ só paga uma pequena tarifa por serviço que, porventura, utilizar.

Na conta, as únicas tarifas cobradas são R$ 2,47 por boleto bancário compensado (pago) e R$ 3,50 por TED realizada. As demais transações da conta são gratuitas e ilimitadas.

– Mensalidade

  • Gratuita.

– Benefícios exclusivos

  • Cartão virtual sem anuidade;
  • Emissão de boletos gratuita e ilimitada (inclusive para cobranças e terceiros);
  • Acesso a APIs gratuitamente.

– Taxas

  • R$ 2,47 por boleto bancário compensado;
  • R$ 3,50 por TED realizada.

– Aplicativo

  • Pelo aplicativo do BS2, o cliente pode solicitar a conta digital para pessoa jurídica e realizar todo seu processo de abertura.

– Investimentos

  • Em breve.

Site: https://www.bs2.com/

2 – Banco C6

O Bank C6, foi criado por ex-executivos do BTG pactual, companhia de finanças brasileiras que atua no ramo de investimento. Ele recebeu autorização do Banco Central para começar a operar no dia 18 de Janeiro de 2019, sendo liberado inicialmente apenas para funcionários, e convidados.

A empresa adota uma tendencia dos bancos digitais, e não cobra tarifas de manutenção de conta ou de serviços bancários. O que permite com que ela consiga competir com outras empresas do ramo, e também impulsiona a captação de clientes, que em pouco mais de 1 ano, já somam mais de 1 milhão de contas registradas no aplicativo.

No primeiro ano de existência, o Banco C6 focou-se bastante na questão do investimento na sua plataforma, para atender melhor seu cliente, por essa razão acabou realizando grandes gastos nessa área. O que não impediu que seu primeiro ano fosse bem sucedido, visto que o ativo circulante foi de R$ 1,49 bilhão, e receita da intermediação financeira ficou em R$ 48,627 milhões, com despesas de R$ 29.049 milhões. Números expressivos para um primeiro ano de funcionalidade, que ao que tudo indica seguirá, pois em janeiro de 2020, o banco realizou uma captação de recursos no valor de R$100 milhões de reais.

Em razão do sucesso alcançado com as pessoas físicas, o banco passou a se voltar também para pessoas jurídicas, oferecendo conta para microempreendedores individuais sem tarifas, cartões de crédito e débito sem anuidade, transferências gratuitas, depósitos por boletos, além  de maquininhas de cartão – essas, fornecidas pela PayGo, adquirida pelo grupo. Com os serviços, os executivos avaliam que 70% das necessidades de uma companhia já serão cobertas neste primeiro momento. No entanto, os planos do banco digital visam a prestação de serviços futuramente, também para pequenos empreendedores e companhias de médio porte, com faturamento de R$ 500 milhões por ano.

 

– Mensalidade

  • Gratuita.

– Benefícios Exclusivos

  • Cartões – Crédito e débito
  • C6 Taggy – Pedágio sem filas
  • C6 Kick – Transferência via SMS
  • C6 Pay – Maquininha
  • Conta grátis – Pessoa física
  • Conta grátis – MEI
  • Conta Global – Conta internacional
  • C6 Investimentos
  • Átomos – Programa de pontos
  • Web Banking – PJ
  • Consultas

obs. O banco C6 também conta com um plano pago, chamado C6 Carbon, com anuidade de R$85 por mês, no entanto aqui estamos tratando apenas das versões gratuitas.

– Taxas

  • Saques com cartão de crédito: R$ 10,00 por saque
  • Compras internacionais no cartão de crédito: 4% + IOF
  • Extrato dos últimos 30 dias: 2 gratuitas, após R$ 5,00 por extrato
  • 2º Via cartão múltiplo: R$ 10,00 por cartão

– Aplicativo

  • Pelo aplicativo o empresário pode criar a conta, adicionar dinheiro, solicitar cartões de débito e crédito, efetuar pagamentos, emissão de boletos e realizar cobranças.

– Investimentos

  • Também através do aplicativo, o usuário pode investir seu dinheiro em renda fixa em CDB, e também fundos de investimento

Site: www.c6bank.com.br

Anteriormente, o banco AgiBank ficava nesta lista no lugar do Banco C6, entre os melhores bancos para pessoas jurídicas, no entanto nesse mês de Julho ele foi retirado.

Isso aconteceu por consequência do número de reclamações que vem aumentando consideravelmente no Banco Central, também pelo fato do tráfego de pessoas em seu aplicativo ter diminuido bastante em comparação a outros meses, e por fim, a queda no  engajamento nas redes sociais do banco, o que mostra que as pessoas não estão mais optando tanto por essa banco, quanto anteriormente, pois não demonstram interesse em suas postagens na internet, ao mesmo tempo em que as reclamações só aumentam, como dito nas linhas anteriores.

1 – Inter

Banco Inter afirma ter serviços que atendem desde profissionais liberais até grandes empresas. A instituição oferece a conta PJ desde agosto de 2017. Segundo o banco, todo o processo de abertura da da conta é feito, como no caso das pessoas físicas, pelo site ou pelo aplicativo do banco. O Inter também ressalta que a conta jurídica é totalmente gratuita, incluindo emissão de boletos, TEDs e saques.

No Banco Inter, o empresário também precisa ter conta pessoa física na instituição. Segundo o banco, “a conta PJ é um benefício para o correntista pessoa física”. O banco garante que o empresário que mantém sua conta jurídica no Inter tem ainda acesso a diversas linhas de crédito, específicas para a modalidade, como capital de giro e antecipação de recebíveis do cartão de crédito. Essa última com juros a partir de 1% ao mês.

– Mensalidade

  • Gratuita.

– Benefícios exclusivos

  • 100 TEDs e boletos gratuitos por mês;
  • Recebimento via QR code gratuito;
  • Convênio com as principais bandeiras de cartão;
  • Extratos por período em vários formatos (PDF, OFX e CSV);
  • Folha de pagamento automática;
  • Maquininha de cartão.

– Taxas

  • Com a maquininha do Inter o empresário paga 1,8% por transação no débito; 2,0% por transação no crédito à vista; e antecipação automática a partir de 1% a.m. Outras taxas não existem dentro do limite permitido de transações.

– Aplicativo

Possui versões para baixar na App Store e no Google Play. É através do aplicativo que todas as transações são feitas, inclusive a abertura da conta.

– Investimentos

Ao baixar o aplicativo, o cliente passa a ter acesso às opções de investimento em renda fixa do Banco Inter, poupança, CDI e ações.

Site: https://www.bancointer.com.br/

(Extra) – Nubank

O banco digital mais popular entre os brasileiros está, atualmente, com sua solução para conta digital PJ em fase de testes. Os clientes do banco que quiserem testar esse novo produto precisam ser sócios únicos de pequenos negócios e possuir CNPJ. Se você já é cliente do Nubank como pessoa física e é autônomo, freelancer, recebe da sua empresa como PJ ou é dono único de um pequeno negócio (e possui CNPJ), já pode entra na lista de espera para a conta PJ do banco.

Conclusão

Comparando esses bancos digitais não é preciso pensar muito para notar que o Banco Inter e o Agibank estão bem à frente da concorrência no mercado de contas digitais gratuitas.

Mas o Banco Inter parece ter melhor compreendido a definição de gratuidades.

Ele se destaca por oferecer DOC, TED e emissão de boletos e saques praticamente à vontade e de graça.

A partir dos dados acima, pode-se afirmar que o Banco Inter oferece a conta digital mais viável não apenas para profissionais PJ, mas para vários tipos de negócio.

Lembrando que o sistema da Facilite possui integração com todos esses Bancos, o que Facilita as suas rotinas para manter a Contabilidade da sua empresa em dia ; )

Comentários