O produto mínimo viável, ou Minimum Viable Product (MVP), é uma das principais alternativas para empresas que estão começando agora e não possuem condições para tirar grandes planos do papel

A estratégia que ficou popular graças à febre das startups, empresas que nascem com grandes escopos e melhoram a entrega do serviço ou produto de acordo com o passar do tempo, costumam ser bastante utilizadas nesses princípios do MVP.

O MVP tem dado tão certo que em 4 anos, o número de startups triplicou no País, indo de 4.151 para 12.727, segundo a Associação Brasileira de Startups (Abstartups). Além disso, dentre as mais de 12 mil, nove são empresas unicórnios (avaliadas em mais de US$ 1 bilhão).

Em comum, todas utilizaram o produto mínimo viável como um diferencial e por isso a Facilite compilou todas as informações necessárias para você entender como funciona e, principalmente, como pôr em prática!

O que é o produto mínimo viável?

O produto mínimo viável é um serviço ou produto mínimo de funcionalidades, mas que mesmo assim possa suprir determinada função. Ou seja, algo simplificado que pode ser melhorado até uma versão definitiva e final.

Não há como falar sobre MVP sem mencionar o livro Startup Enxuta, de Eric Ries, autor responsável por popularizar a técnica em centenas de países. Em síntese, Ries afirma que implementar a metodologia permite descobrir se o produto de fato soluciona um problema antes de desenvolver uma versão final.

Ou seja, a metodologia de Eric Ries consiste em elaborar diversos testes com objetivo de garantir a funcionalidade de uma empresa.

 

Qual é a importância do MVP?

Ao contrário do que muitos dizem, o MVP é fundamental para todo tipo de empresa, afinal todas passam por incertezas antes de lançar um determinado produto ou alguma nova função. 

Considerando isso, é através desta técnica que você pode garantir a viabilidade de um projeto e ao mesmo tempo, se assegurar de possíveis grandes riscos.

Pense no seguinte exemplo: você está com uma almofada específica para pôr nas costas, tendo objetivo de inibir dores naquela região.

A partir da metodologia do produto mínimo viável, você concentra todos os seus esforços no problema e tenta oferecer uma solução da forma mais básica possível de imediato.

Quando bem realizado, você saberá se o problema realmente necessita de algum produto, já que basta algum comprimido que a dor nas costas sumiria.

Sem aplicar o MVP, você poderia lançar a melhor versão da almofada e descobrir posteriormente que poucas pessoas se importariam em comprar.

 

Benefícios do produto mínimo viável

Um dos principais benefícios do produto mínimo viável é a garantia da menor perda possível em retorno sobre custos operacionais do seu negócio. 

Porém, há outros benefícios que fazem toda a diferença, principalmente para negócios que ainda estão em seus anos iniciais. Desta forma, listamos abaixo alguns dos benefícios que o  produto mínimo viável pode entregar para você.

  • Ele permite a evolução constante do serviço ou produto;
  • Garante mais assertividade dos investimentos;
  • Oferece maior respaldo prático sobre serviços e produtos;
  • Eleva o ROI da empresa;
  • Segue os mesmos passos de empresas que hoje valem bilhões;
  • Permite a validação da ideia antes de pôr em prática;
  • Evita a perda de recursos;
  • Valida “achismos”;
  • Aumenta a taxa de sucesso;
  • O produto obtém funcionalidade plena já no lançamento.

Mesmo com todos esses benefícios listados, o MVP ainda permite que o gestor descubra novas vantagens a cada novo mês da metodologia colocada em prática.

 

Como colocar em prática o produto mínimo viável?

Há três dicas básicas para pôr em prática o produto mínimo viável. E nós da Facilite, vamos listá-las abaixo. 

Ao colocar todas essas dicas em práticas com o máximo de atenção, podemos dizer que dizer que os próximos produtos e serviços ofertados pela sua empresa podem ser ainda mais assertivos, atendendo ainda melhor as dores do seu consumidor.

 

  • Entenda a dor do seu cliente

Voltando ao exemplo da almofada que inibe dores nas costas, o lançamento realmente assertivo pode ser possível apenas se você realmente entender as dores do seu cliente.

Por isso, faça pesquisas quantitativas e qualitativas, sobretudo, tenha queixas reais para orientar se há necessidade ou não do lançamento do seu produto.

  • Torne o seu produto ou serviço simples

Evite qualquer tecnologia que torne o seu produto ou serviço mais complexo. O produto mínimo viável tem como prioridade lançar algo da forma mais simples possível, sempre priorizando a entrega da sua promessa.

Evolua o seu produto ou serviço em proporção ao crescimento da sua empresa. Caso a sua ideia tenha dado certo, em pouco tempo você pode fazer mudanças e assim tornar a sua oferta ainda mais atraente.

  • Faça testes

Busque pessoas próximas ao que você acredita ser os potenciais clientes e as coloque frente à frente ao seu produto ou serviço para testar a funcionalidade.

Esses testes são indispensáveis e servem para corrigir detalhes que podem fazer toda a diferença na entrega final.

 

E você? Já conhecia o produto mínimo viável? Ele vai fazer a diferença em sua empresa? Deixe sua opinião nos comentários abaixo.

Comentários